Discuta as notícias e acompanhe os campeonatos do bom e velho futebol
  • 1
  • 62
  • 63
  • 64
  • 65
  • 66
  • 69

 Salieri
  •  34057 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Jordanes do Mar Jônico escreveu: Messi Lautaro e OCampos precisam mostrar nos treinos que a o nivel é alto se não o resto do time só vai engrenar novamente quando começar um campeonato.

    ultima chance do Messias na copa :ohnoes: :ohnoes: :ohnoes: :ohnoes:
    Acho que a última chance veio e já se foi em 2014. Infelizmente (ou felizmente, sei lá) vai encerrar a carreira sem uma Copa. Se tivesse se naturalizado espanhol teria levado umas 2 pelo menos.

     Sudit
  •  53964 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Salieri escreveu:
    Jordanes do Mar Jônico escreveu: Messi Lautaro e OCampos precisam mostrar nos treinos que a o nivel é alto se não o resto do time só vai engrenar novamente quando começar um campeonato.

    ultima chance do Messias na copa :ohnoes: :ohnoes: :ohnoes: :ohnoes:
    Acho que a última chance veio e já se foi em 2014. Infelizmente (ou felizmente, sei lá) vai encerrar a carreira sem uma Copa. Se tivesse se naturalizado espanhol teria levado umas 2 pelo menos.
    Esse foi o maior pecado da historia do futebol mundial...
    Imagina que time espetacular seria a Espanha com Messi?
    Salieri  isso

     Farofas
  •  179811 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Banalizar a Copa é tiro no pé

    Por Maurício Noriega

    Imagem

    “De onde menos se espera, daí é que não sai nada”. A frase cunhada por Aparício Torelly, o Barão de Itararé, explica as mentes da maioria dos dirigentes do futebol internacional. Essa turma que odeia ser chamada de cartola.

    A última pérola de insensatez foi gerada nos escritórios da principal entidade do futebol. A Fifa estuda a possibilidade de realizar a Copa do Mundo a cada dois anos. A argumentação do presidente da Fifa, Gianni Infantino, para justificar o estudo é a seguinte:

    – Os clubes podem ganhar cinco ou seis títulos por ano. As seleções só podem ganhar um a cada quatro ou a cada dois anos. E a maioria das seleções nem sequer se classifica para a Copa do Mundo.




    O que há por trás do discurso inclusivo? Uma guerra velada pelo dinheiro do futebol, que coloca em polos opostos Fifa, Confederações Continentais, Federações Nacionais e clubes. Os generais por trás das estratégias são os dirigentes. Os soldados no teatro de operações são os jogadores.

    A Fifa nunca deu muita bola para o futebol jogado pelos clubes. Até que o crescimento de ligas nacionais como as de Inglaterra, Espanha, Itália e Alemanha e, principalmente, a explosão da Champions League, alterasse o Norte dos investimentos. O Mundial de Clubes da Fifa não seduz os grandes europeus, que priorizam a Champions, e nem tem o charme e a tradição da Libertadores.

    O que se desenha: a Fifa e suas confederações e federações afiliadas são as responsáveis pelos jogos entre seleções nacionais. Essa turma quer avançar sobre o uso das maiores estrelas do futebol internacional. Por isso as competições entre seleções estão sendo inflacionadas. Copa América toda hora, Euro anabolizada, Liga das Nações, Eliminatórias intermináveis. Parece um negócio bastante lucrativo.

    Os clubes gastam bilhões para formar jogadores e montar times, giram fortunas em contratações, pagam salários astronômicos. Mas estão sendo forçados a ceder seus ativos por cada vez mais tempo para quem não paga os boletos.



    O que faz da Copa do Mundo um sucesso, essencialmente, é sua exclusividade. A expectativa gerada em cada ciclo de quatro anos, as gerações que se sucedem, os desafios individuais e coletivos. Se a Copa do Mundo, como quer a Fifa, for realizada a cada dois anos, como ficará o calendário do futebol?

    A Copa América, a Euro, a Copa da África, a da Ásia? Quando e como serão disputadas as Eliminatórias? Quantas serão as datas Fifa, nas quais os clubes são obrigados a ceder seus jogadores? Isso sem falar na profusão de campeonatos mundiais de categorias de base, num cenário em que aos 17, 18 anos os jogadores são titulares de seus times principais.

    O que estão propondo os cartolas deve acelerar o esgotamento do principal recurso do futebol: os jogadores. Cada vez mais eles são tratados como gladiadores obrigados a atuar em múltiplas arenas para gerar lucro. Nem todo jogador profissional é Messi, Cristiano Ronaldo, Lewandowsky, Neymar, Mbapé. Ou mesmo os muito bem remunerados jogadores de grandes times do Brasil.

    Toda ação proposta pela Fifa gera uma reação em cadeia e impacta no produto futebol como um todo. Tempo de treinamento e recuperação, dois ativos preciosos no esporte de rendimento, ficarão cada vez mais escassos.


    Quando o presidente da Fifa argumenta que os fãs querem menos jogos e jogos mais importantes, ele parte da premissa de que partidas que importam são as que estão sob sua jurisdição. Além de embarcar numa enorme contradição ao também propor que os Mundiais de categorias de base sejam anuais e não a cada duas temporadas.

    O que Infantino quer é que os jogadores entrem em campo cada vez mais em benefício da Fifa e cada vez menos por seus clubes. Não precisa ser muito esperto para perceber. Fifa e Confederações querem exibir os melhores momentos em suas plataformas.

    A polêmica em torno da Superliga Europeia e os planos expansionistas da Uefa para a Champions ligaram o alerta dos cartolas.

    Pena que a intenção por trás do discurso seja uma só: como explorar ainda mais o talento dos jogadores em benefício próprio. Parece o melhor negócio do mundo. Os clubes fazem o maior investimento e emprestam seus ativos a custo baixo para o lucro maior das seleções.


    https://globoesporte.globo.com/blogs/pa ... o-pe.ghtml

     Farofas
  •  179811 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Imagem

    Goleiro: Gabriel Árias (Racing), Cláudio Bravo (Real Bétis) e Gabriel Castellón (Huachipato);

    Defensores: Andía (Universidad de Chile), Beausejour (Universidad de Chile), Isla (Flamengo), Maripán (Monaco), Medel (Bologna), Mena (Racing), Enzo Roco (Fatih Karagümrük), Sierralta (Watford) e Vegas (Monterrey);

    Meio-campistas: Alarcón (O'Higgins), Aránguiz (Bayer Leverkusen), Baeza (Colo-Colo), Galdames (Vélez), Jiménez (Palestino), Leiva (Universidad Católica), Pinares (Grêmio), Pulgar (Fiorentina) e Vidal (Inter de Milão);

    Atacantes: Brereton (Blackburn), Carrasco (Deportivo Palestino), Meneses (León), Montes (Universidad Católica), Mora (Portland Timbers), Orellana (Real Valladolid), Palacios (Internacional), Alexis Sanchez (Inter de Milão) e Vargas (Atlético-MG)

     Lakitus
  •  38424 posts
  •  

    Avatar do usuário

    E o Cavani? :-?

     Lakitus
  •  38424 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Pensei em ver Bolívia x Venezueira, coloco no Sportv e... muié narrando

    vou jogar Crash 4

     Snorlax
  •  834 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Uruguai x Paraguai daqui a pouco

     Snorlax
  •  834 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Olha o VAR, anularam esse gol :facepalm:

     Farofas
  •  179811 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Moreno é o artilheiro das eliminatórias

     Keys
  •  23490 posts
  •  

    Avatar do usuário

    Acabou. Argentina 1x1 Chile.

     Fábio 100 anos
  •  2974 posts
  •  

    Tá pavoroso essas eliminatórias. Nenhum time que preste até o momento nas eliminatórias da CONMEBOL.
    • 1
    • 62
    • 63
    • 64
    • 65
    • 66
    • 69

    MENSAGENS RECENTES

    Seu pai sabe desse seu sentimento por ele?[…]

    E a base vem forte?

    Deixem a molecada ser feliz.

    Eu não tinha gostado das fotos divulgadas […]

    Nem sei o que é isso rs



    O melhor conteúdo: seguro, estável e de fácil manutenção, desde 2012